Páginas

sábado, 24 de março de 2012

MEC fará vistoria na UNIP

O Ministério da Educação (MEC) decidiu instaurar uma auditoria na Universidade Paulista (Unip) para aprofundar as investigações em relação a irregularidades com o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade). Com prazo de 60 dias, a auditoria inclui ainda a visita de avaliação in loco em todos os cursos da Unip em fase de renovação de reconhecimento.

Atualmente, a universidade tem 100 cursos nessa categoria. As avaliações in loco incluem análise detalhada de todos os dados relativos ao cursos, como atas de formatura. A auditoria no local acarretará em um custo de R$ 600 mil para Unip – que pagará R$ 6 mil por curso avaliado pelo MEC. Essa auditoria pode resultar até em descredenciamento de cursos. 

A decisão foi tomada pelo MEC após confrontar as denúncias de irregularidades na aplicação do Enade – reveladas pelo Estadão.edu – com as alegações apresentadas pela Unip. A auditoria terá um prazo de 60 dias e será realizada pelo instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) e pela Seres (Secretaria de Regulação e Supervisão do Ensino Superior).

Instituições com cursos com notas notas acima de 3 no Conceito Preliminar de Curso (CPC) estão dispensadas de avaliação in loco. O fato de o MEC ter determinado a visita mostra que o ministério não tem confiança nos dados da Unip.

O Ministério da Educação decidiu nesta quinta-feira também descredenciar a Universidade São Marcos, no Ipiranga, zona sul de São Paulo, após processo administrativo em que se verificaram inúmeras irregularidades, que comprometem o funcionamento da instituição.

Com o descredenciamento, a instituição deverá providenciar a transferência dos alunos e a entrega da documentação acadêmica aos interessados em 90 dias.

* Atualizado e corrigido às 19h38. No 2º parágrafo, foi acrescida a frase: "Essa auditoria pode resultar até em descredenciamento de cursos". No 4º parágrafo, o correto é CPC (Conceito Preliminar de Curso), e não IGC (Índice Geral de Curso).